‘Novo vírus´ do YouTube passa por anti-spams

youtube-20090408092234

 

“Um(a) amigo(a) lhe enviou um vídeo do YouTube”. Este velho prenúncio com o logotipo do site de vídeos tem passado em alguns anti-spams e pode iludir alguns usuários.

Tudo porque a mensagem é convincente, ao primeiro olhar. O remetente “YouTube” possui o endereço mais comum em e-mails de compartilhamento de arquivos por serviços de mensagem: noreply@youtube.com.

 

Abaixo, a suposta indicação personalizada diz: ‘Ola… tudo bom? achei esse video no youtube decidi te mandar, tenho certeza que voce vai gostar!’. Pelo texto genérico, já daria para desconfiar da integridade do e-mail, principalmente, por não conter uma assinatura. Quando se passa o cursor sobre o endereço do vídeo, tem-se a certeza do direcionamento malicioso.

 

Um verdadeiro compartilhamento de vídeos por e-mail utilizando o YouTube acontece pelo remetente “Serviço YouTube”, com o título “Você recebeu um vídeo de (nome do usuário): (nome do vídeo)".

 

No corpo da mensagem deve aparecer a imagem da prévia do vídeo e ícones próprios do YouTube, como a assinatura "‘© 2009 YouTube’, LLC" no rodapé e o final “&feature=email” na URL do vídeo.

 

De qualquer maneira, o usuário deve ficar atento ao endereço que o link direciona. Caso tenha caracteres suspeitos, não se deve clicar em nenhuma hipótese, pois deve ser uma fonte de contaminação.

Anúncios

Justiça do Pará anula absolvição de acusado do assassinato de Dorothy Stang

 

dorothy_stang

A 11ª Sessão Ordinária da 1ª Comarca Criminal Isolada do Tribunal de Justiça do Pará, decidiu hoje (07), por votação unânime, cassar a decisão do Tribunal do Júri que absolveu o réu Vitalmiro Moura, da acusação de mandar matar a Dorothy Stang. A missionária foi assassinada a tiros no município de Anapu, em 2005.

Em maio de 2008, Vitalmiro, conhecido como Bida, foi absolvido do crime. O Tribunal de Justiça acatou a apelação do Ministério Público, de anulação do julgamento anterior e enviou os autos ao Tribunal do Júri para novo julgamento. A Justiça também determinou a imediata prisão cautelar de Vitalmiro.

Na mesma apelação, a Justiça definiu que Rayfran das Neves, o Fogoió, acusado de ser o executor do assassinato, também terá o júri anulado e será levado a novo julgamento. O Ministério Público contestou a acusação anterior de que Rayfran teria assassinado sem nada receber e o acusou do recebimento de recompensa pelo crime.

De acordo com o Tribunal de Justiça, Rayfran cumpre pena de 28 anos de prisão, mas poderia ser condenado a mais tempo com o agravante.

Protógenes: como a imprensa favoreceu Daniel Dantas

 

O delegado Protógenes Queiroz, responsável pela Operação Satiagraha, produziu um documento de 30 páginas, em que denuncia o envolvimento da imprensa brasileira no apoio ao banqueiro Daniel Dantas, do Grupo Opportunity. O material, divulgado com exclusividade pelo site Consultor Jurídico, foi apreendido pela Polícia Federal (PF) por ter sido feito sem autorização legal.

Protógenes menciona o jornal Folha de S.Paulo e revistas como Piauí e IstoÉ em supostas "parcialidades" no conteúdo editorial. Segundo Protógenes, os veículos teriam produzido "reportagens que refletem o interesse de determinados grupos econômicos", em referência ao banco Opportunity e à Brasil Telecom.

O material de Protógenes se baseia em análises de artigos, editoriais, reportagens e colunas publicadas desde 2007, período em que eclodiu a Operação Satiagraha, que determinou as prisões de Dantas, do ex-prefeito Celso Pitta e o investidor financeiro Naji Nahas.

O delegado transcreve, em determinado trecho do documento, a reportagem "Os vencedores da telefonia", publicada em 16 de janeiro de 2008 na revista IstoÉ. Segundo afirma Protógenes, o texto faz referência a Dantas apenas como um dos acionistas da Brasil Telecom, e não, segundo ele, como personagem determinante na fusão da empresa com a Oi.

Em outro trecho do material, o delegado da Satiagraha aborda a matéria "Justiça pede dados sobre Telecom Itália", veiculada em 13 de dezembro de 2006, na Folha de S.Paulo. Protógenes afirma que o texto "curiosamente não aprofunda o aspecto da investigação que vem sendo desenvolvida na Itália, o qual trata do pagamento de propina a políticos pela Telecom Itália". É uma alusão à disputa da empresa européia com o Opportunity, de Dantas, pelo controle da Brasil Telecom.

Já a revista Piauí é questionada pelo delegado por, em reportagem extensa, ressaltar a trajetória profissional do banqueiro do Opportunity, com enfoque à "inteligência e sagacidade" do empresário, e não destacar seu suposto envolvimento irregular em mega transações financeiras. De acordo com Protógenes, "curiosamente a VideoFilmes, instituição de propriedade de um dos sócios da Piauí, recebeu aportes financeiros da Brasil Telecom, na época em que esta era gerida por Dantas".

A Operação Satiagraha teve seu estopim em meados de 2007. A Polícia Federal, órgão responsável pelo caso, investiga a participação dos suspeitos em ações de desvio de recursos públicos, lavagem de dinheiro e evasão de divisas em negociações financeiras.

Fonte Portal Vermelho