Primeiro de Abril. Vírus Conficker ganhou força, mas não foi ativado.

100562_connfikkker

O dia 1º de abril passou sem o registro de grandes danos causados pelo vírus informático Conficker, também conhecido como Downadup, mas ainda assim ele ganhou força.

No primeiro dia de abril, o potente vírus sofreu uma mutação e fortaleceu sua resistência, o que dificulta ainda mais a localização dos criadores.

"Apesar dos hackers na origem do Conficker não terem anunciado ordens específicas, milhões de PCs correm risco de ser controladas no futuro por pessoas desconhecidas", advertiu Paul Ferguson, da empresa de segurança em informática Trend Micro.

"A ameaça continua assim. Estes caras são espertos: não vão fazer truques muito evidentes no momento em que todos os olhos estão voltados para o problema", destacou.

"O vírus é muito sofisticado e parece que seus criadores estão no leste da Europa."

O Conficker pode infectar computadores pela internet ou se esconder entre os dados armazenados em um pendrive, passando assim de um computador para outro. Uma vez alojado, ele instala defesas que tornam muito difícil a eliminação.

Os intrusos podem roubar dados ou assumir o controle dos computadores infectados, transformando os mesmos em máquinas "zumbis" membros de um "botnet", uma rede de computadores a serviço dos hackers.

O vírus, que estava programado para infectar 250 site de internet por dia, se fortaleceu na quarta-feira (1º), alcançando 500 sites diários.

Anúncios

Presidente Lula é o mais popular, diz Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta quinta-feira em Londres que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o “político mais popular da Terra”.

Obama fez o comentário em uma roda de líderes mundiais, pouco antes do início da reunião do G20, em uma sala de conferência do Excel Center, em Londres.

O encontro foi registrado em vídeo pela BBC, que mostra a cena em que os dois se cumprimentam.

Obama troca um aperto de mãos com o presidente brasileiro, olha para o primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, e diz, apontando para Lula: “Esse é o cara! Eu adoro esse cara!”.

Em seguida, enquanto Lula cumprimenta Rudd, Obama diz, novamente apontando para Lula : “Esse é o político mais popular da Terra”.

Rudd aproveita a deixa e diz : “O mais popular político de longo mandato”.

“É porque ele é boa pinta”, acrescenta Obama.

PEDOFILIA – DOENÇA OU ASSASSINO

Nos últimos períodos uma das principais noticias que eu me recordo de ter lido, escutado ou principalmente comentado é o caso da garota de 9 anos que foi monstruosamente violentada pelo padrasto em Pernambuco, e como legado dessa agressão uma criança ficou grávida de mais duas crianças.

Hoje muito se fala na defesa dos direitos humanos, na aplicação imediata do estatuto da criança e do adolescente, na erradicação do trabalho escravo, principalmente no pós traumático de uma noticia como essa.

No casso da PEDOFILIA o que é mais instigante e que mais da metade dos casos acontecem dentro da própria família (34% por pai, 37% por padrasto e 10% outro tipo de parente). O que leva a pensar uma pessoa, ou melhor um parente, com mais de 35 anos (70% dos casos) a utilizar crianças como objeto sexual. Fazendo um busca não entrei nenhum estudo para tentar compreender a mente dessas pessoas.

Muitas pessoas tratam essas pessoas como doentes, pra mim não passa dos mais tórridos assassinos.

Pior do que vc ver uma pessoa adulto sendo violento crime já absurdo. É vc saber que uma pessoa completamente indefesa está sendo utilizada como objeto sexual. Pois neste bárbaro ato toda a inocência de uma simples criança, a perspectiva do futuro, em muitos casos a vontade de viver, se vão naquele momento terrível.

E agora seu Tarsso

Tarsso Jereissati

Tarsso Jereissati

Deve-se aos repórteres Fernando Rodrigues e Fábio Zanini a descoberta da penúltima anomalia escondida nas dobras do orçamento do Senado.

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) cultiva o hábito de usar um pedaço da verba que banca as passagens dos congressistas para fretar jatinhos.

A prática é vedada pelo regulamento que disciplina o custeio dos bilhetes.

Mas o senador tucano obteve uma autorização especial, muito especial, especialíssima.

Concedeu-a o ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia –aquele cuja cabeça foi à bandeja depois que se soube que ocultara a posse de vistosa mansão.

A deferência de Agaciel foi sacramentada com o beneplácito de Efraim Moraes (DEM-PI), que respondeu pela primeira-secretaria do Senado até 2 de fevereiro.

Conforme registros levados ao Siafi, sistema que armazena os gastos da União, o aluguel dos jatinhos que transportaram Tasso sorveu das arcas da Viúva R$ 469 mil.

Foram R$ 335 mil entre 2005 e 2007. E R$ 134 mil desde então. Ouvido, o grãotucano admitiu o uso dos jatinhos. Aluga-os invariavelmente na TAM.

Mas exibiu comprovantes de despesas nos quais reconhece o dispêndio de “apenas” R$ 358 mil. Curiosamente, Tasso dispõe de um avião particular.

Um jato Citation, que adquiriu em 2005. Sobreveio, então, uma dúvida: Por que diabos o senador precisa voar nas asas do erário?

Tasso alega que, às vezes, seu avião desce à manutenção. Só pendura o aluguel de jatos no bolso do contribuinte quando o seu está indisponível.

Serve-se, segundo diz, do saldo das passagens dos vôos de carreira, que não o aprazem. A cota mensal do senador para a aquisição de bilhetes aéreos é de R$ 21.230.

Quando um empresário do porte de Tasso Jereissati troca os negócios privados pela política, sujeita-se às mais comezinhas regras da vida pública.

Qualquer criança imberbe é capaz de intuir que o custeio de jatinhos com o dinheiro do alheio não é coisa que pareça apropriada.

Mas no Senado dos dias que correm o impróprio, o inoportuno, o inconveniente, o inadequado e (por que não dizer?) o indecoroso vão ganhando hedionda naturalidade.