Desculpem

Ola amigos leitores do nosso blog. Ficamos um periodo sem atualizações, devido a questões pessoais. Ainda durante essa semana estaremos regularizando e fazendo as nossas atualições diarias.

 

Um grande abraço

30 dias de Governo Elisa Costa

Após a grande euforia da vitoria, e os percalsos da formação do governo, a prefeita Elisa Costa completa seus primeiros 30 dias de governo. Inicio este muito agitado, como a muito não se via. Enchetes, epidemia de Dengue, calamidade na saúde, e principalmente muita expectativa por parte da população. Podemos dizer que foi um inicio bom com posisões fortes como o fim da taxa de lixo, nas últimas horas o estado de calamidade declarado na saúde, com um possivel fechamento do hospital municipal.

Vamos ver como serão os proxímos 30 dias.

 

um abraço

Façam as suas apostas. As eleições de 2010 começam a esquentar.

A semana politica começou quente. Primeiro com as eleições no Senado Federal e na Câmara dos Deputados. Ali estavam em jogo muito mais do que o status de dirigir as duas principais casas legislativa do Brasil e que tem em mãos um orçamento de mais de 6 bilhões de reais. E sim o de interferir diretamente nos rumos políticos do Brasil, prioritariamente as ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS DE 2010.

Após sair fortalecido das eleições municipais, se consolidando como o maior partido do Brasil o PMDB aumenta o seu poderio com o poder nas duas casas. O presidente Lula conta como aliado de primeira hora o PMDB para essa empreitada, a de eleger Dilma a sua sucessora. Só que mais difícil de convencer a CÚPULA DO PMDB, o presidente Lula tem um desafio maior de todos, que é unificar todo o PMDB, principalmente por mais do que um partido nacional no PMDB o que prevalece de fato são os interesses locais, é quase que COMBINAR COM OS ZAGUEIROS DA EQUIPE ADVERSARIA EM LHE DEIXAR FAZER UM GOL. Vamos ver os próximos capítulos desta queda de braço.

Na outra ponta tempo também uma verdadeiro duelo de TITAS, entre José Serra e mineiro Aécio Neves, que disputam a indicação do PSDB para concorrer a presidência da republica. Serra saiu fortalecido do último embate eleitoral, já o seu concorrente saiu enfraquecido apesar de seu candidato ter ganho a prefeitura de BH. Os dois já anunciaram que começam a rodar o Brasil em busca de votos dos convencionais do partido e de projeção nacional. Quem vai dar mais.

Por fim o imbatível PRESIDENTE LULA, novamente bate recorde de sua popularidade no mês de janeiro com nada mais nada menos que 84% de aprovação. Entra crise, sai escândalo, aparece o mensalão e o LULA continua numa boa.

 

Um grande abraço.

O Imbativel

BRASÍLIA – Apesar da crise, a 95ª Pesquisa CNT/Sensus, divulgada nesta terça-feira, pela Confederação Nacional de Transporte (CNT), mostra que o governo Lula e a popularidade do presidente alcançaram recorde histórico.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve 84% de aprovação entre o eleitorado. Em dezembro de 2008, a aprovação do desempenho pessoal do presidente estava em 80,3% e a desaprovação, em 15,2%. Nas últimas treze rodadas da pesquisa, Lula vem apresentando melhora no índice de aprovação.

Em setembro de 2005, durante a crise do mensalão, Lula era aprovado por apenas 50% dos entrevistados. O governo tinha obtido melhor índice na série histórica da pesquisa, iniciada em 1998, em janeiro de 2003, quando Lula assumiu a presidência com 83,6% de avaliação positiva.

A avaliação positiva do governo Lula está em 72,5%, segundo a pesquisa. Em dezembro de 2008, este mesmo índice estava em 71,1%. Esta também é a melhor avaliação de um governo em toda a série histórica.

De acordo com o presidente da CNT, Clésio Andrade, o presidente Lula apresenta índices altos de aprovação em função de uma forte esperança do eleitorado, centrada no discurso do presidente Lula e nas medidas que o governo está tomando. “Tudo o que ele [Lula] fala, o povo acredita. Se ele fala que a crise vai passar, o povo acredita, isto justifica a sua popularidade”, destacou o presidente da CNT.

A 95ª. Pesquisa CNT/Sensus foi realizada entre os dias 26 e 30 de janeiro, em 136 municípios das cinco regiões brasileiras. Dois mil eleitores foram questionados. A margem de erro é de 3%.