Festival da Juventude 2009

Anúncios

Ecologicamente CORRETO. Supermercados de vários estados oferecem descontos a quem não usa sacolas plásticas

O mundo produz 500 bilhões de sacolas plásticas por ano, quase 1,5 bilhão por dia. No Brasil, são distribuídas 1 bilhão de sacolas plásticas por mês nos supermercados. Isso equivale a 66 sacolas por pessoa. Cada uma leva até 300 anos para se decompor. Não usar sacola de plástico é bom para o meio ambiente e pode ser bom para o bolso. Em Curitiba, até padaria aposta na onda verde para convencer o consumidor a usar sacolas ecológicas. Segundo o gerente Pedro Farinha, mais de mil sacolas reutilizáveis já foram vendidas só na padaria em que ele trabalha, incentivando os consumidores a deixar de usar as sacolinhas plásticas.

Em uma rede de supermercados do Paraná, quem abrir mão das sacolas de plástico ganha descontos na boca do caixa. “A cliente que é consciente, levando em caixinhas de papelão ou embalagem retornável, ganha desconto de R$ 0,03 a cada cinco itens”, explica a caixa.

A ideia vem sendo testada pela empresa também para o Nordeste e já rendeu R$ 70 mil em descontos aos consumidores. “Está funcionando há quatro meses no Nordeste, onde já deixaram de ser consumidas em torno de 2,3 milhões de sacolas”, contabiliza o diretor de operações Elton Brito.

A campanha em uma rede de supermercados, em São Paulo, começou em 2005. Já foram vendidas quase 700 mil sacolas retornáveis. Mas consumidores que ainda não se habituaram ao uso têm lá suas razões. “Acho complicado, porque faço sempre compras grandes. Fica difícil trazer a própria sacola”, justifica a paisagista Ana Lucia Marguti. “Na correria do dia-a-dia você não para para pensar em trazer a própria sacola e retornar com ela”, diz o professor Fabio Braz.

Logo a rede percebeu que apesar das sacolinhas agradarem, elas não retornavam aos supermercados. O consumidor deixava em casa, guardada. Foi aí que nasceu a ideia de premiar quem se lembrasse da sacola nas próximas compras. Na rede, o cliente vai acumulando pontos e troca por descontos. Só no mês passado, 100 mil sacolinhas de plástico deixaram de ser usadas nas lojas da rede.

“Nós estamos em uma campanha de redução e melhor aproveitamento da sacola plástica. Tem sacolas retornáveis, tem uso de caixa de papelão, que vem dos fornecedores. São várias as ações, o cliente acaba se engajando em momentos diferentes”, aponta o gerente de gestão Paulo Pompilio.

É fundamental que o comércio varejista se engaje nesta campanha contra o uso indiscriminado de sacolas plásticas descaráveis. Mais do que o valor pago pelo uso de formas alternativas, é o debate que a campanha incentiva. Precisamos fazer com que este seja mais um item no conceito de responsabilidade social das empresas. Por menor que ela seja.

Os mercados deveriam também treinar os embaladores nos caixas a não colocar duas sacolas para um volume pequeno de produtos. Hoje, o uso de duas sacolas é automático, independe do peso coloca nelas. No supermercado da minha vizinhança, eu coloco até 5 litros de leite em uma sacola sem problemas. E quando eu peço para os ensacadores usarem apenas uma sacola por volume de compras, geralmente crianças carentes da região, eles se espantam e tentam me convencer de que elas não aguentam. Costumo também retornar sacolas, mesmo essas descartáveis.

Há várias formas para se medir o nível de civilidade de uma sociedade. Para mim, a forma como ela trata seu lixo, é a mais importante. Aqui em casa é praticamente zero a perda. Temos coleta de lixo reciclável e um liquidificador que transforma praticamente todo o lixo orgânico em um fertilizante líquido.

Mais de 300 políticos eleitos em 2008 já tiveram os mandatos cassados

 

renan001

Uma pesquisa divulgada hoje (6) pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) revelou que, do final de 2008 a março deste ano, 357 prefeitos, vice-prefeitos e vereadores eleitos no ano passado foram cassados por compra de votos ou uso eleitoral da máquina administrativa.  

O levantamento teve como base dados da Corregedoria Geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Foi analisada a situação de 84,74% das zonas eleitorais do país.
Entre 119 vereadores cassados por compra de de votos no período considerado, a maioria (50 casos) tinha atuação na região Nordeste. Também já perderam mandato 238 prefeitos e vices eleitos em 2008.

O número de mandatos interrompidos pode crescer bastante nos próximos meses. A corregedoria do TSE contabiliza outros quatro mil processos relacionados à corrupção eleitoral ainda pendentes de conclusão, 3.124 deles referentes à compra de votos no último pleito.

O aumento de cassações reflete a aplicação da Lei 9.840, de 1999, originada de iniciativa popular. O MCCE é formado por 40 entidades da sociedade civil, movimentos sociais e igrejas.