Presidente Lula abandona almoço para não ficar ao lado de ditador; Kadafi sai, quando Lula começa a falar

Foi marcada por constrangimento a participação do presidente Lula na cúpula entre países árabes e sul-americanos, em Doha, no Qatar. Em almoço oficial para os líderes da cúpula, o presidente Lula não perdeu tempo ao perceber que seria colocado ao lado de Omar al-Bashir, o presidente do Sudão e que foi indiciado pelo Tribunal Penal Internacional por crimes de guerra e contra a Humanidade. Lula comeu apenas a entrada e, ao ver a chegada do presidente do Sudão, levantou-se, cumprimentou-o brevemente e alegou que precisava sair para atender a uma ligação. Não voltou. O Itamaraty garante que Lula não trocou uma palavra sequer com o líder sudanês. Oficialmente, o Palácio do Planalto alega que o presidente Lula queria descansar. Mais tarde, em outro momento tenso da cúpula, o presidente da Líbia, Muamar Kadafi, se levantou e abandonou a sala assim que Lula começou o seu discurso. Kadafi deixou Doha sem dar explicações.

Tim é multada por SAC

O Ministério da Justiça multou a TIM e a empresa de transporte terrestre Itamaraty em mais de R$ 1,3 milhão por descumprimento ao decreto do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC). As penalidades, publicadas no Diário Oficial da União desta segunda-feira (30), foram de R$ 650 mil para a Tim e R$ 650,875 mil para a Itamaraty.

A Tim não disponibiliza aos consumidores a opção para reclamações no primeiro menu de atendimento, como determina a legislação. Já a Itamaraty não possui serviço de atendimento ao consumidor. A partir do momento em que forem notificadas, as duas empresas terão dez dias para recorrer à Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça.

Com estas notificações, o Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) do MJ soma sete multas aplicadas por conta do não cumprimento do decreto do SAC. Em 3 de fevereiro passado, as concessionárias de transporte terrestre interestadual Unesul, Transbrasiliana e Andorinha foram multadas em mais de R$ 3 milhões. Em seguida, as empresas penalizadas foram a Gontijo e TTL, também de transporte terrestre, em mais de R$ 2,5 milhões.