Novo Enem não exigirá que aluno decore fórmulas, diz ministro da Educação

O MEC (Ministério da Educação) e o comitê responsável pela elaboração do novo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) decidiram nesta quarta-feira qual será a matriz de habilidades da prova que substituirá o vestibular das universidades federais. Segundo o ministro Fernando Haddad (Educação), os conteúdos permanecerão os mesmos que são ministrados hoje pelo ensino médio, o que muda é a “forma de perguntar”.

“Não se está reinventando nada, até por respeito aos alunos que estão concluindo o ensino médio na forma atual. O que se aprovou hoje, tendo por base os conteúdos, foi como abordar os conteúdos. A ênfase deixa de ser na memorização e passa a ser na capacidade de compreensão dos fenômenos da natureza, por exemplo”, disse.

Wilson Dias/ABr

Haddad diz que novo formato do Enem não permitirá "pegadinhas"; novo vestibular recebeu adesão de 25 universidades federais

Haddad diz que novo formato do Enem não permitirá “pegadinhas”;
novo vestibular recebeu adesão de 25 universidades federais

A matriz de conteúdo será divulgada nesta quinta-feira (14), após reunião com os secretários estaduais de educação. Segundo Haddad, o novo formato não permite as “pegadinhas”, por exemplo, nem vai exigir que o aluno decore uma fórmula ou a data de um fato histórico.

“O que ele precisa saber é como se desenrolaram os processos históricos e a implicação dos fatos na vida dos países”, afirmou.

O ministro disse acreditar que como nem todos os conteúdos podem ser cobrados a partir da matriz de habilidades estabelecida pelo MEC, a tendência é que o volume de conteúdos diminua.

“Hoje o programa de ensino médio é um empilhamento dos programas dos vestibulares”, afirmou. Em breve, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) deve divulgar um modelo da prova para que os alunos tomem conhecimento do formato.

O presidente da Andifes (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior), Amaro Lins, afirmou que muitos vestibulares do país já adotam esse formato de prova. “O grande avanço é que o país inteiro vai ter a possibilidade de um exame que tem grandes ganhos em relação ao modelo atual.”

Ajuda

Haddad disse ainda que vai pedir um reforço ao Ministério da Justiça na aplicação e logística de distribuição da provas. Hoje, cerca de 2 mil agentes da Polícia Federal fazem a segurança nos locais de prova do Enem, mas em função do possível crescimento do número de inscritos, o MEC quer aumentar esse efetivo.

Como já tinha sido determinado pelo MEC, a prova será nos dias 3 e 4 de outubro. Os estudantes que quiserem se candidatar às vagas de uma das instituições participantes devem necessariamente participar do exame que terá uma redação e 200 questões de múltiplas escolhas. Os testes serão de linguagens e códigos, matemática, ciências naturais e ciências humanas.

Anúncios

MEC propõe reforma curricular e pedagógica do ensino médio público para 2010

 

 

Um projeto apresentado ao Conselho Nacional de Educação (CNE) pretende mudar a organização curricular do ensino médio público do país. O documento base, desenvolvido pelo Ministério da Educação (MEC), foi discutido hoje pela primeira vez pelos membros do conselho.
Uma das propostas é que os alunos tenham no mínimo 20% de disciplinas optativas dentro do currículo. O projeto, que está sendo chamado de "ensino médio inovador", pode começar a funcionar já em 2010. A mudança vale só para o ensino público.

Desde o ano passado, o ministério discute em grupos de trabalho a reforma do ensino médio, etapa considerada como a mais frágil de todo o sistema. Pesquisas apontam que o atual modelo é desinteressante para os jovens, o que aumenta a evasão e diminui o tempo do brasileiro nos bancos escolares.
Como o ensino médio é responsabilidade das redes estaduais de ensino, a intenção do MEC é incentivar as secretarias a promoverem mudanças no currículo e na organização dessa etapa, a partir de apoio técnico e financeiro. Segundo o ministério, a verba deverá ser destinada prioritariamente às 100 escolas com as piores notas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Antes, a proposta precisa ser aprovada pelo CNE. 

“O MEC tem o papel indutor, mas não de definição do currículo. Os estados já estão tentando fazer isso porque o currículo do ensino médio não pode ser endurecido, o ministério agora está dando os instrumentos para essa mudança”, explicou o coordenador-geral do ensino médio, Carlos Artexes.

A partir das orientações que vão constar nesse projeto, cada rede de ensino vai definir o seu modelo de currículo e organização das escolas. Além da possibilidade de o aluno escolher as disciplinas complementares às básicas, está previsto que o atual modelo da grade curricular, dividido em 12 disciplinas tradicionais, seja dividido em eixos mais amplos como linguagens e ciências humanas. Outra mudança é o aumento da carga horária de 2,4 mil para 3 mil horas/ano e a inclusão de atividades práticas para complementar o aprendizado.

“A escola deixa de ser um auditório da informação e passa a ser um laboratório de aprendizagem”, compara o conselheiro Francisco Aparecido Cordão, relator do projeto no CNE. Para ele, o atual modelo curricular aprisiona as escolas. O projeto do MEC sugere ainda que programas de incentivo à leitura estejam previstos na nova organização pedagógica. Outra orientação é valorizar as atividades artísticas e culturais dentro do currículo.

A presidente do CNE, Clélia Brandão, afirma que é preciso mudar o atual modelo da escola para que ela atenda à essa geração. “De acordo com a Constituição, o ensino médio tem que ser universalizado, mas os jovens ou não vão para escola ou a abandonam porque ela não é interessante para eles. O formato do ensino médio precisa atender à esse perfil do aluno”, defendeu.

O CNE vai realizar audiências públicas para discutir o novo modelo de ensino médio. O processo deve ser concluído até julho. Depois dessa etapa, o ministério começará as negociações com os estados. Serão firmados acordos de cooperação a partir das mudanças propostas pelas secretarias, com a previsão de apoio técnico e financeiro do governo federal para a implantação dos novos modelos.
Segundo o coordenador do ensino médio, ainda não foi definido o montante dos recursos que o MEC irá repassar aos estados para a reforma do ensino médio.

 

* Com Agencia Brasil

O falso Positivo dos antivirus

virus

Extraido do blog
http://infoaux-security.blogspot.com/

O Falso Positivo nos antivírus funciona da mesma forma que nos seres humanos. Imagine, que você faz um exame, e este exame acusa que você tem determinada doença (bata na madeira agora :)). Porém, após uma série de outros exames, chega-se a conclusão de que o primeiro exame estava errado e que você não possui a tal doença.

Voltando aos antivírus, é como você fazer um rastreamento em seu equipamento e o seu antivírus enviar arquivos que não possuem nenhuma espécie de malware para a sua pasta de quarentena, ou apenas solicitar que você tente desinfectar um arquivo que na verdade não possui infecção nenhuma.

Isso pode ocorrer e não é uma situação tão incomum nos dias atuais, visto que, surgem diversos novos malwares todo dia na rede, o que pode ocasionar, que o antivírus acabe em alguns casos, superestimando a forma com que analisa esses malwares, tratando arquivos que estão “sadios” como infectados.

Esse tipo de análise que trata um arquivo sadio como infectado é o falso positivo nos antivírus. É importante, principalmente quando o arquivo for gerado pelo próprio usuário ou tratar-se de um arquivo do sistema operacional, que façamos um rastreamento no equipamento e não saiamos simplesmente deletando este(s) arquivo(s). Tentar verificar no site da empresa fabricante do antivírus se existe alguma novidade em relação ao tipo de arquivo que foi detectado como infectado ou verificar se já existe uma vacina disponível é o mais aconselhável, antes de uma deleção precipitada.

Obviamente que possuir um antivírus que mostre alguns falsos positivos, é muito melhor do que não possuir nenhum, porém, falsos positivos, são, ao contrário, pontos negativos quando da avaliação dos antivírus. Quanto mais falsos positivos um antivírus encontra, mais pontos ele perde em sua avaliação (pelo menos é o que ocorre nas avaliações dos maiores especialistas neste tipo de produto).

Abaixo, cito parte de um post escrito por um membro do site winajuda.ig.com.br, chamado Alexandre, o Chato sobre como reportar falsos positivos para as empresas de antivírus. Este post é bastante interessante e muito útil.

As empresas de antivírus disponibilizam um meio de acesso, para que seus usuários possam reportar falsos positivos, para que nas próximas atualizações estes erros sejam corrigidos.

Antes de Enviar a mensagem reportando o falso positivo, devemos verificar o seguinte:

– Ter certeza de que esta utilizando a última atualização do antivírus, pois assim evitamos o envio de falsos positivos que já foram corrigidos.
– Fazer uma análise em sites que contém bancos de dados da maioria dos antivírus, para ter certeza de que não está realmente infectado. Entre os sites, destacam-se: (http://www.virustotal.com/, http://virusscan.jotti.org/).
– Compacte o arquivo em ZIP ou RAR e coloque senha. (“Infected” é a senha solicitada pela maioria dos emails citados abaixo), para evitar que gateways de emails ou sites detectem qualquer malware.

Seguem abaixo, os antivírus e como reportar os falsos positivos:

Avira AntiVir
Através deste link (http://analysis.avira.com/samples/index.php), é possível reportar uma URL infectada erroneamente ou enviar um arquivo do seu computador de no máximo 8 Mb(Megabytes). É de extrema importância selecionar no campo File Type, a opção Suspected False Positive. Após a seleção, uma nova caixa de texto se abre, e ali deve-se colocar o link de onde o arquivo original pode ser baixado, se possível (links de instaladores que contenham o arquivo, também são válidos, mas dê preferência por links oficiais. Ex.: Programa com .dll detectada erroneamente > envie o link do instalador).

Kaspersky Internet Security / Kaspersky Antivírus
Há dois métodos para enviar Falsos Positivos aos laboratórios do Kaspersky. O primeiro pode ser feito através da janela de Quarentena do KAV / KIS.

O segundo método é o envio de email. Envie uma mensagem para newvirus@kaspersky.com com o Assunto “Possível Falso Positivo”. Anexe o arquivo em ZIP ou RAR. Você pode colocar algumas informações adicionais, como nome do malware detectado, o porquê de ser um falso positivo e, se houver, senha do arquivo compactado.

ESET Smart Security / NOD32 Antivírus
Envie um email para samples@eset.com, contendo o assunto “Possible False Positive” e o anexo em ZIP ou RAR. Na mensagem do email, coloque o porquê de achar que a detecção é um falso positivo. Se o arquivo do falso positivo for um programa, também coloque o nome do desenvolvedor, o nome do programa e sua versão e um site onde pode ser baixado (pode ser o link do instalador). E o email, deve ser, preferencialmente escrito em inglês, para agilizar o processo e evitar erros no entendimento da mensagem.

Norton Antivírus / Internet Security
Esta página https://submit.symantec.com/false_positive/index.html, permite que sejam reportados falsos positivos em programas, mas sem a necessidade de envio do arquivo infectado.

É importante informar se foi detectado Malware ou Security Risk no campo Is Your submission related to a malware or security risk false positive?. Também é importante informar no campo I am the vendor of the potentially mis-identified software, se você não for o desenvolvedor do programa. Por último, não se esqueça de informar o nome da detecção dada pelo Norton no campo Name of detection given by Symantec.

AVG Antivírus / Internet Security
Através do email virus@avg.com, envie o arquivo com o falso positivo no formato ZIP ou RAR com o assunto “False Positive”. Descreva brevemente o problema, e se, houver, a senha do arquivo zipado. Dê preferência ao inglês para redigir a sua mensagem.

avast! Antivírus
Envie o arquivo do falso positivo em ZIP ou RAR para virus@avast.com, com o assunto “False Positive”. Não há necessidade de uma descrição do problema, mas você deve colocar a senha do arquivo enviado na mensagem.

O Alexandre deu preferência aos antivírus mais utilizados na internet.

Espero que o artigo tenha contribuído para um melhor entendimento quanto ao funcionamento dos falsos positivos nos antivírus.

Ratifico que o envio dos falsos positivos para os fabricantes de antivírus citados pelo Alexandre, devem seguir as regras ali descritas.