Prefeitura de Governador Valadares lança Escola de Tempo Integral.

Novo modelo educacional atenderá 26 mil alunos na rede municipal de ensino

Crianças e adolescentes na escola o dia inteiro estudando, praticando esporte, fazendo arte e se alimentando bem. Esta é a meta da Prefeitura com o programa da Escola em Tempo Integral. O lançamento do programa acontece nesta quinta-feira (11/02), às 19 horas, no Teatro Atiaia (Av. Brasil, 2.920 – centro).

Um total de 50 escolas, divididas na área urbana e rural, estão preparadas para receber os alunos no próximo dia 22 de fevereiro. Para adequar as escolas ao novo modelo, a Prefeitura realizou uma série de obras de reforma e adequação nas unidades para atenderem com o máximo de amplitude os alunos, os quais terão o ensino regular e várias atividades complementares, como: práticas esportivas, culturais e reforço escolar.

A secretária de Educação Sames Assunção Madureira explica que a Educação Integral veio para desenvolver uma proposta educacional de mudanças que ofereça educação transformadora e comprometida com a formação humana, integralmente. “Não é apenas ampliação do tempo do aluno na escola, mas uma proposta que possibilite vivência democrática nas relações das crianças e adolescentes, em todos os tempos e espaços da escola e da comunidade”, disse.

Os alunos do Ensino Fundamental e Educação Infantil permanecerão na escola de 7 horas da manhã às 15 horas, um total de 8 horas diárias. Nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e Instituições Conveniadas (Creches) as crianças permanecerão na Instituição de 7 às 17 horas, um total de 10 horas diárias.

Formação dos professores

Em 2009, a Secretaria Municipal de Educação promoveu debate sobre o tema “Escola em tempo integral”, com todos os profissionais da rede. Mais de duas mil pessoas discutiram o programa, em dois encontros.

Em janeiro foi a vez da reorganização curricular e preparação de toda a rede para receber os alunos. “Os professores efetivos se reuniram durante três dias na Escola Municipal Teotônio Vilela para formação”, comenta a secretária de Educação. A formação dos professores será encerrada nesta quinta-feira (11/02), durante o lançamento do Programa no Teatro Atiaia.

Anúncios

CUFA promove Viradão Esportivo

marca_viradao_esportivo

 

Com objetivo de incentivar a prática de esportes aliada ao exercício da cidadania, a Central Única das Favelas (CUFA) promoverá em 07 de novembro, das 09 às 18 horas, em diversas cidades brasileiras, o Viradão Esportivo. O evento, que tem como tema “Família”, busca ressaltar a importância dessa instituição na construção dos valores do indivíduo. Áreas carentes, geralmente excluídas dos calendários de eventos, terão destaque especial no projeto, seguindo a proposta de utilização do esporte como ferramenta de inserção e integração social.
O Viradão Esportivo apresentará uma grande variedade de atividades e eventos esportivos, dos clássicos aos atípicos. As disputas acontecerão em associações, clubes, vilas olímpicas, escolas, forças armadas, universidades, presídios, federações, confederações, dentre outras organizações parceiras do projeto. Qualquer iniciativa/modalidade esportiva, cujos representantes manifestarem interesse em participar, será incorporada à programação oficial do evento. Representantes de instituições, clubes, escolas e todos os  interessados podem se cadastrar no site www.viradaoesportivo.com.br.

A cerimônia nacional de abertura acontecerá às 10 horas do dia 7 de novembro, no Ginásio Miécimo da Silva, em Campo Grande, zona oeste do Rio de Janeiro, onde estarão presentes os dirigentes da CUFA, parceiros do projeto, esportistas, agentes políticos e o público em geral. O encerramento do evento ficará a cargo de cada cidade. No Rio de Janeiro, haverá a participação de nadadores no Piscinão de Ramos, localizado na Zona Norte, onde acontecerá a “Travessia do Piscinão”, seguida de um show de encerramento do Viradão Esportivo 2009.

Mesa sobre políticas públicas de esporte discute participação popular

Políticas públicas de esporte para juventude e sua consolidação como política de Estado foi pauta de uma das mesas de debate do 51º Congresso da UNE. A mesa foi composta por Brenda Espíndula, diretora de Estudos e Pesquisa do CEMJ, Gustavo Petta, ex-presidente da UNE e secretário Municipal de Esportes de Campinas e Daniele Santos, representante do Ministério dos Esportes.

Segundo Gustavo Petta, “Se conseguíssemos investir no esporte relacionado ao tempo que ele toma na vida das pessoas, teríamos todos os problemas resolvidos”. Gustavo ainda afirma que embora os avanços das políticas públicas de esporte para a juventude no país, “nosso grande problema é ainda não possuir um sistema nacional articulado. Precisamos consolidar esse sistema, valorizando os profissionais, agentes comunitários e as pessoas que mais precisam”, finalizou.

Para Daniele Santos, representante do Ministério dos Esportes, “já existe uma diretriz nacional de esportes e quando o Ministério propõe uma agenda política, já propõe com base nestas diretrizes, no entanto, é preciso melhorar a gestão de participação popular nas políticas públicas”. “Com o movimento social temos que dar um passo adiante, cada ator precisa ter consciência de sua missão para construir consensualmente, políticas publicas fortes para o esporte no país”, afirmou.

Brenda Espíndula defende uma política pensada sobre vários aspectos.”A política de esporte para juventude deve se preocupar com a diversidade dos contextos onde a prática esportiva se desenvolve, pensando que existem jovens que desejam praticar no campo, na cidade, nas comunidades indígenas”.