A quem interessa a CPI da Petrobrás

Por Emanuel Cancella*

Os inimigos da Petrobrás estão de volta: pretendem instalar uma CPI
contra a companhia no momento em que se cogita a criação de uma nova
empresa no setor e o Congresso vai discutir o novo marco regulatório.

O objeto da CPI é inconsistente. O que está por traz da iniciativa é
somente fragilizar a Petrobrás. Como coincidências não existem, muito
menos quando se trata de iniciativas políticas, como a instauração de
uma CPI, é legítimo perguntar que interesses esses grupos partidários
escondem e a quem servem.

Técnicos da companhia projetam que as reservas do pré-sal podem variar
entre 100 e 300 bilhões de  barris. Nesse sentido, é necessário que a
União encaminhe uma pesquisa, através da Petrobrás, para um cálculo
mais exato. De qualquer forma, são reservas que podem colocar o Brasil
no patamar da Arábia Saudita, como primeiro no ranking.

Nesse cenário, entregar o pré-sal para uma nova empresa é castigar a
Petrobrás que, muito pelo contrário, merece prêmio por desenvolver,
durante décadas, tecnologia própria, investindo nisso bilhões de reais
e, de forma pioneira, descobrindo petróleo no pré-sal, num momento em
que as reservas mundiais estão em declínio.

A Petrobrás é longe a empresa que mais arrecada impostos para a União.
Atualmente, financia 40% do Programa de Aceleração do Crescimento
(PAC).

Instalar uma CP, justamente agora, só se for para servir de palanque
àqueles que foram contra a criação da Petrobrás e depois tentaram
privatizá-la. O Congresso Nacional, se fosse movido pelos interesses
da população brasileira, deveria debater o fortalecimento da Petrobrás
e uma estratégia para garantir que o petróleo e gás encontrados em
nosso território sejam nossos!

*Emanuel Cancella é coordenador geral do Sindicato dos Petroleiros do
Rio de Janeiro (Sindipetro-RJ)

Anúncios

Uma resposta para “A quem interessa a CPI da Petrobrás

  1. A AEPETRO – Associação dos Empregados da PETROBRÀS é a favor da CPI da PETROBRÁS, pois defendemos a transparência na gestão, a ética e o repeito a dignidade humana, o que, a atual gestão da empresa não tem promovido. Somente no ano de 2005 foram mais de R$ 240 milhões em contratos sem licitação apenas na Refinaria Landulfo Alves. Há também sonegação fiscal da alíquota responsável pelo custeio da APOSENTADORIA ESPECIAL dos trabalhadores que exercem atividades sob riscos ambientais, precarização em mais de 80% da força de trabalho, 02 fatalidades por mês, além de assédio moral institucional contra os Representantes dos Empregados que denunciam as irregularidades.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s