Olimpíada de Brasília

Sem que a gente se apercebesse, realizou-se em Brasília, simultânea à de Pequim, uma Olimpíada que mediu recordes do atletismo político nacional. Como manda a tradição, há disputas coletivas e competições individuais. Aqui estão os resultados mais importantes:

:: Arremesso de calúnia é disputado por equipe e ganhou, com quilômetros de folga, a bancada daquele PFL que, agora DEM, tem vergonha do seu passado. Abiscoitou o troféu Carlos Lacerda de peroba.

::Já a modalidade cuspe de veneno a distância é pessoal e intransferível. Apesar do favoritismo disparado do senador Arthur Virgílio, com as cores azul e amarela do PSDB, ele se mostrou meio fora de forma e acabou atropelado por outro senador, João Agripino Maia, do time do DEM. Agripino mereceu a medalha Cascavel de gesso.

:: A esperada exibição de saltos ornamentais, a ser disputada in memoriam do ex-senador ACM, teria a participação do neto dele, o ACMinho, do deputado Fernando Gabeira e ex-deputado Roberto Freire e do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo. Mas à última hora foi suspensa. Decidiu-se atribuir o prêmio, hors-concours, ao ex-presidente FHC, invencível na arte dos contorsionismos, prestidigitações e pirotecnias.

:: A maratona com obstáculos, que termina no Palácio do Planalto, teve na largada José Serra, Dilma Rousseff, Ciro Gomes, Aécio Neves, Nelson Jobim e, para variar, os insistentes Paulo Maluf e Geraldo Alckmin. Estes dois ficaram pelo caminho, mas, para os demais, a prova só termina em 2010. Serra também disputou capoeira, na categoria rasteira sorrateira. Venceu fácil, fácil.

:: Brasília inovou, em seus Jogos, com a prova de marcha de costas. Você sabe: aquela esquisita corridinha na qual você não pode tirar um dos pés do chão. Em Brasília, a coreografia consistiu em andar para a frente, mas olhando para trás. Aí, não teve para ninguém: Lula nadou de braçada.

:: Inconformada de apenas assistir a tanta manifestação de exibicionismo alheio, o time da imprensa que cobria os Jogos – mesmo com o chorado desfalque de Pedro Bial, que estava em Pequim – improvisou a sua versão de trampolim fixo. Não houve vencedores. O trampolim rachou e a imprensa culpou o PT.

A bem da tranqüilidade dos atletas, a corrida ao cofre foi realizada sem platéia.

Disputa no reino de Deus

A recente notícia de que uma igreja evangélica comprou 22 horas diárias do Canal 21, da Rede Bandeirantes de Televisão, passou quase despercebida. O fato é visto como rotineiro, dado o espantoso crescimento no País do movimento neopentecostal, representado por denominações que enfatizam os dons do Espírito Santo por meio de curas milagrosas em rituais espetaculosos. Os evangélicos hoje já somam 30 milhões de fiéis e representam 17% da população. No Censo de 1991, eram 13,7 milhões.

Mas quem se incomodou nas últimas duas décadas com o crescimento da Igreja Universal do Reino de Deus, chefiada pelo bispo Edir Macedo, prepare-se: a dona da nova programação do Canal 21, a Igreja Mundial do Poder de Deus, é uma espécie de dissidência da Universal e cresce vertiginosamente como a sua principal concorrente. Tem sonhos de grandeza semelhantes.

Fundada há dez anos, a igreja desbancou a PlayTV, da Gamecorp, empresa de jogos para celular e tevê que tem como sócio Fábio Luís Lula da Silva, o filho do presidente Lula. A PlayTV era a responsável pela grade do Canal 21 e rivalizava com a MTV. Os valores do contrato por cinco anos com a Bandeirantes não foram revelados, mas giram em torno de 3 milhões de reais mensais. A Mundial já paga cerca de 1 milhão de reais à RedeTV! para veicular programas diários das 5 às 8h30 da manhã. No momento, mantém negociações com uma terceira emissora

PCdoB e PT disputam a imagem de LULA em Porto Alegre

Lula é do PT. Maria do Rosário é do PT. Não há dúvida de que a candidata do Lula é a Maria do Rosário’, disse Cícero Balestro, coordenador da campanha de Rosário, à Reuters.

A disputa para demonstrar quem seria a legítima destinatária da simpatia presencial foi intensificada pela veiculação da imagem de Lula nos programas do horário eleitoral gratuito. Enquanto Manuela exibiu uma fotografia em que aparece ao lado do presidente, Maria do Rosário aproveitou a visita presidencial ao Estado, na última terça-feira, para gravar e inserir na propaganda gratuita imagens de um encontro com Lula.

Segundo Balestro, a intenção é utilizar bastante o ‘vínculo com o presidente’ como peça de campanha para capitalizar os resultados positivos dos investimentos federais feitos na capital gaúcha.

Já os partidário de Manuela D’Ávila reivindicam o reconhecimento da colaboração dos comunistas com os acertos do governo federal e a legitimidade de mostrarem certa proximidade com o presidente.

‘Sempre tivemos uma relação próxima ao governo. Nós somos governo’, disse Adalberto Frasson, presidente estadual do PCdoB, à Reuters.

APOIO EXPLÍCITO

Mesmo que as imagens veiculadas na propaganda eleitoral das duas adversárias não tenham sido acompanhadas de áudio com qualquer declaração do presidente, são apontadas como indícios de apoio de Lula.

‘É um apoio implícito, quase explícito. Para mim é explícito. (Lula) veio aqui e gravou só com Rosário’, destacou o coordenador da campanha.

O apoio presidencial a Rosário estaria sendo concretizado com a presença de ministros, principalmente de Dilma Rousseff (Casa Civil), em atividades de campanha da petista. Para Balestro, o fato de Manuela integrar um partido da base aliada não significaria aprovação do presidente.

‘A coalizão é mais ampla, mas o presidente tem opinião. Às vezes, é bom lembrar que ele (Lula) é do PT’, disse Balestro.

A disputa gerou troca de acusações entre representantes das duas candidaturas em declarações à imprensa local. Na disputa de versões, os partidários de Manuela fazem questão de lembrar que, desde 1989, estiveram presentes nas alianças que sustentaram as candidaturas de Lula à presidência da República.

‘Não estamos disputando apoio de ninguém. Estamos demonstrando o que sempre fizemos, a luta do PCdoB na construção deste governo’, disse Frasson.

Pela pesquisa do Datafolha, realizada entre 21 e 22 de agosto, Rosário e Manuela aparecem tecnicamente empatadas em segundo lugar com 20 e 19 por cento, respectivamente, das intenções de voto. O atual prefeito e candidato à reeleição, José Fogaça (PMDB), lidera com 31 por cento. A pesquisa tem margem de erro de 3 pontos.

Pelo Ibope de 22 de agosto, Manuela aparece com 21 por cento, enquanto Rosário tem 16 por cento das intenções de voto.

Na pesquisa Ibope do mês anterior, ambas estavam empatadas em 19 por cento. Fogaça lidera com 33 por cento. A pesquisa Ibope também tem margem de erro de 3 pontos percentuais.

McCain surpreende e escolhe governadora para vice

O virtual candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, escolheu a governadora do Estado do Alasca, Sarah Palin, para ser candidata a vice na sua chapa.

A escolha de Palin – que tem 44 anos, sendo mais jovem do que o candidato democrata, Barack Obama – surpreendeu analistas, já que a governadora é um nome relativamente pouco conhecido em nível nacional nos Estados Unidos.

Uma ferrenha opositora do aborto, Palin é casada, tem cinco filhos e ficou conhecida por realizar reformas em seu Estado durante seu atual primeiro mandato.

Analistas dizem que McCain pode tê-la escolhido como uma tática para conquistar o voto de eleitoras democratas que ficaram decepcionadas com a derrota de Hillary Clinton, que disputou com Obama a indicação de Barack Obama.

Ela também teria o apelo de ser relativamente jovem.

Palin será apresentada por McCain como candidata a vice em um evento ainda nesta sexta-feira, em Dayton, no Estado de Ohio.

Com sua indicação, a governadora se tornará a segunda mulher a ser indicada para ser vice-presidente numa chapa de um dos dois principais partidos americanos. A primeira foi Geraldine Ferraro, do Partido Democrata, em 1984.